Arte e Cultura

Grupo sul coreano Blanc 7 se apresenta em Florianópolis

Saiba quais a diferenças entre um show de artistas coreanos e de artistas brasileiros

Texto: Amanda Macuglia e Joana Fonseca

Gosto de k-pop desde 2008, e por uma questão financeira nunca tive a oportunidade de ir ao um show de algum grupo do estilo. O grupo sul coreano Blanc 7, que debutou em março desse ano, veio fazer uma turnê de divulgação do seu segundo álbum no Brasil, e uma das cidades em que grupo se apresentou foi em Florianópolis. Vi uma oportunidade de realizar o meu sonho, mesmo não conhecendo muito sobre o grupo.

O show foi no dia 16 de novembro. Cheguei ao local do evento Às 15h e enfrentei uma fila grande de meninas adolescentes. Eu me senti uma velha, sendo uma das poucas pessoas maiores de 20 anos que não era parente de algum adolescente. Na fila, enquanto esperava para entrar no show, conversei com Julia e Renata, de 11 e 18 anos, primas que dividem o mesmo gosto musical.

“Conheci o K-pop com a música EO EO do grupo Uniq, mas hoje sou fã do Blanc 7 e do Exo. Meu favorito é o Taichi, quero muito vê-lo tocar bateria”. Julia conta que, o responsável pela performance do Blanc 7, Taichi toca bateria a mais de três anos. Julia apresentou o estilo da prima, que logo gostou muito e também tem preferência pelo Blanc 7.

Também próximo a mim na fila, estava um pai segurando um guarda-sol com a filha de 14 anos e mais duas amigas da mesma idade. As meninas confortáveis na sombra ouviam as músicas do grupo e imitavam as coreografias. O pai me disse que é mais seguro ele acompanhar as meninas do que deixá-las sozinhas. “Não é fácil ficar em pé no sol por várias horas até o show começar, mas eu prefiro ficar e me certificar que elas vão aproveitar o cantor que elas gostam tranquilas”. Entre sombrinhas e várias pessoas, vestidas com roupas e acessórios do grupo, se notava que não tinha apenas catarinenses, mas pessoas de várias cidades do Brasil e até um grupo de fãs do Paraguai, que estavam esperando para ver o grupo.

 

Às 16h30, a equipe que organizava o evento começou a conferir os ingressos e dividir as pessoas que iriam participar do fansign e que estavam na pista premium e comum do show. Fansign é algo muito comum na cultura musical da Coreia do Sul, é um momento em que os membros do grupo interagem com os fãs, dão autógrafos e recebem os presentes dos fãs. Luisa de 16, participou do fansign e se emocionou muito ao estar perto dos ídolos. “Ensaiei muitas coisas em coreano e em inglês para falar com eles, mas quando cheguei perto deles eu travei. Só consegui falar: anyohaseyo, oi em coreano”.

Não consegui comprar o ingresso do fansign que esgotou muito rápido, por isso fiquei mais um tempinho na fila junto com as pessoas que só tinham ingresso para o show. Só pudemos entrar no local às 18h30.

Outro costume diferente dos shows de grupos coreanos é que antes de ir para o auditório, os fãs passam pela loja oficial do grupo para comprarem posteres, camisetas e a light stick oficial. Cada grupo coreano possui uma personalizada que os fãs usam para iluminar o show e também se mostrarem presentes nas apresentações do grupo em programas de televisão e shows internacionais. Por se tratar de um show internacional, também tinha um espaço em que era vendido salgadinhos e doces típicos da Coreia do Sul.

Quando os portões foram liberados, foi uma correria para alcançar a grade, o que felizmente eu não tive problemas. Diferente dos shows anteriores que eu já fui, em vez de ter uma outra banda ou grupo para abrir para os artistas principais, foram quatro grupos de dance cover de k-pop, um de Curitiba e três de Florianópolis. Está cada vez mais comum no Brasil os dance covers de grupos coreanos, tanto que em São Paulo existe uma competição de dança, K-Pop Dance Tournament (KDT). O grupo Ellipsis de Florianópolis, que dançou a música Hello do Blanc 7 no show, está classificado para KDT 2018, que acontece em março.

O show também contou com um apresentador, chamado na Coreia do Sul de “MC”. O MC conduzia o show que era intercalado com as músicas, as entrevistas, o sorteio de brindes e as brincadeiras dos integrantes. Em um momento, o vocal Spax mostrou suas habilidades de dança no estilo b-boy. Ele já ganhou competições na França e é o atual campeão mundial no estilo. O rapper Teno mostrou aos fãs brasileiros o porquê é conhecido por ser o mais sexy do grupo, mostrando a sua versão da música Gashina da cantora coreana Sunmi. Em um momento da entrevista, o líder do grupo e vocal, Jean Paul, falou que o que mais o encantou nos fãs brasileiros foi a alegria e a gentileza deles.

Durante o show, o Blanc 7 apresentou não só as músicas do segundo álbum, mas relembrou algumas do primeiro álbum do grupo, lançado em março desse ano, além de apresentar uma música inédita do terceiro álbum, exclusiva para os fãs brasileiros. No fim, eu saí do show extremamente cansada, e o sol que peguei na fila foi pouco comparado com a chuva que peguei ao sair do local. Ainda no portão de entrada, pude me despedir do pai que veio com seu guarda sol buscar a filha. Na próxima semana, o grupo fará shows em Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro.

59d4f6818b2d6

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s