Arte e Cultura

Netflix produz seu primeiro filme brasileiro

O Matador retoma uma tradição há muito esquecida: o "faroeste" brasileiro

Texto: Silvio Matheus e Juliana Passos

Nesta sexta-feira, 11 de novembro, estreou o primeiro filme brasileiro produzido pela Netflix, O Matador. O drama do diretor Marcelo Galvão segue os moldes de faroestes norte-americanos, mas no sertão brasileiro. Retomando uma antiga tradição que começou em 1953, com O Cangaceiro, de Lima Barreto.

omatador_vertical_pre_bpo.jpg
Cartaz oficial do filme

Em O Matador, Diogo Morgado interpreta Cabeleira, um assassino do interior do Pernambuco que foi criado pelo cangaceiro Sete Orelhas desde bebê. Adulto, Cabeleira vai à cidade procurar o desaparecido Sete Orelhas. Ele encontra uma cidade desgovernada por Monsieur Blanchard, um francês que domina o mercado de pedras preciosas. A trama se passa no ano de 1940.

Os atores Marat Descartes, Paulo Gorgulho e Mel Lisboa também participam do filme. Com a produção, o Brasil apresenta mais um produto dentro da plataforma de stream. O Matador chega na Netflix para ficar ao lado de outras produções brasileiras da empresa, como a série 3% e o documentário Laerte-se.

FB_7389-2-1280x640.jpg
Foto do elenco durante cerimônia de estreia em São Paulo (08/11)

O filme foi exibido em festivais, mas não será apresentado em salas de cinema, seguindo, assim, a tendência de produções para plataformas de stream, que descarta o circuito convencional para promoção de seus produtos. O Matador já está disponível.

Veja o trailer do filme:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s