Bem-Estar

Conheça o Jejum Intermitente, nova técnica de emagrecimento

Os protocolos variam de 12 a 24 horas sem comer, tendo consumo livre de água, chás e café sem açúcar

Texto: Caroline de Borba e Paula Dagostin
Foto: Thinkstock

Nova tendência entre aqueles que desejam emagrecer, o Jejum Intermitente, ou apenas JI, está dando o que falar no mundo fitness. Porém, não é uma dieta. De acordo com a nutricionista Ana Carolina Lambert, formada pela Universidade Católica de Santos (Unisantos), “não se trata de uma dieta, é uma estratégia de alimentação que consiste em alternar períodos de jejum, maiores do que apenas o tempo de sono, com períodos de alimentação”.

 O jejum intermitente vai contra uma rotina alimentar pregada por muitos profissionais de saúde como o segredo para o emagrecimento, que é a alimentação de três em três horas. Para a nutricionista Natali Fritzen, o assunto gera discussões entre os profissionais da área. “Ainda sabemos pouco sobre os reais efeitos e eficácia de fazer esse jejum. Porém, acredito que se comprovada a estratégia trará benefícios para algumas pessoas, pois é um recurso a mais que nós profissionais podemos utilizar para auxiliar no tratamento”, ressalta.

Após inúmeras tentativas, Monalisa Alves encontrou na dieta Low Carb e no Jejum Intermitente seu auxílio para a perda de peso. “Nada dava certo, até que fui em um nutricionista e ele me apresentou a dieta low carb, que é um estilo de vida sem açúcar e sem carboidratos. Após cinco meses seguindo essa alimentação, ele disse que estava apta para iniciar o jejum intermitente”.

Assim como em toda dieta, o jejum deve ser indicado e acompanhado por um profissional. Questionada sobre as contraindicações, Ana Carolina enfatiza que o JI não é indicado para diabéticos tipo 1, que dependem de insulina, pessoas com idade inferior a 18 anos, idosos, pessoas abaixo do peso, grávidas e lactantes. Estes devem ser orientados por um nutricionista para assim avaliar o método mais adequado de alimentação.

Segundo estudos, após ficar determinado tempo sem ingerir nenhum alimento, o corpo usa os substratos energéticos já presentes no organismo. Sendo assim, ele passa, por exemplo, a se utilizar da gordura armazenada no tecido adiposo, da glicose gerada no fígado como energia e além disso, direciona os aminoácidos para a produção energética. “O corpo necessita de energia constantemente para não comprometer seu funcionamento, então ele tira energia de outras fontes, como por exemplo, das proteínas da nossa massa muscular”, salienta Natali.

Antes e Depois Monalisa
Monalisa conta que perdeu 22kg com a dieta Low Carb e mais seis com o Jejum Intermitente (Foto: Arquivo Pessoal)

Adepta do jejum há um ano, Monalisa obteve resultados associando dieta e jejum intermitente. “Faço exames de rotina constantemente e meu médico é só elogios. Meu colesterol é bom, tudo melhorou após essa combinação alimentar. Antes eu tomava remédios para pressão alta e hoje minha pressão é normal”, comemora Monalisa.

Apesar de experiências positivas, toda mudança alimentar deve ser realizada com cautela. Natali explica que os sintomas iniciais como fome, dor de cabeça e irritação, além de perda de massa muscular, podem desmotivar os iniciantes. “Outro aspecto importante é que o jejum pode desencadear uma compulsão alimentar, por exemplo, depois de ficar muito tempo sem comer, a pessoa se dá o direito de comer fast food ou outras refeições não saudáveis”, alerta.

Preocupada com a prática indevida de dietas e restrições alimentares, a nutricionista Ana Carolina explica que cada corpo tem seu metabolismo e as pessoas devem buscar uma prescrição individual e não realizar procedimentos indicados por terceiros. “Constantemente surge uma nova moda, um novo protocolo que não respeita a individualidade de cada corpo. As pessoas não podem se deixar influenciar por essas “modinhas” e por nutricionistas formados no Instagram”, finaliza.

Protocolos do Jejum Intermitente

Seu nutricionista poderá indicar um desses três possíveis modos de realizar o jejum, lembrando que água, chás e café sem adição de açúcar ou adoçante estão liberados:

24 horas: Há um intervalo sem alimentos calóricos no período de 24 horas. Essa prática baseia-se em uma única alimentação no dia que, por exemplo, pode ser o almoço. No dia seguinte, a primeira refeição será o almoço e não o café da manhã. Esse protocolo pode ser repetido, no máximo, duas vezes por semana.

Intermitente 5 por 2: Nessa opção, você poderá comer normalmente por cinco dias e por dois dias seguidos restringe as calorias a aproximadamente 500 kcal.

Intermitente 16 ou 14 horas: Esse é o protocolo de uso mais frequente. Por exemplo, a última refeição do dia será às 20 horas e a próxima no horário do almoço do dia seguinte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s