Arte e Cultura

Imagem e manifesto: o trabalho da Produtora Coffee

Produtora Coffee, empresa audiovisual independente de Blumenau, se destaca em videoclipes realizados.

Texto: Juliana Passos e Silvio Matheus

A cena do rap tem crescido cada vez mais em Santa Catarina. Hoje, grupos musicais alcançam visibilidade e estabilidade por meio das redes sociais. Festas voltadas para o estilo reúnem um público fiel, que acabam consumindo e disseminando o trabalho dos rappers.

Os músicos, na maioria das vezes, optam por investir em produções audiovisuais, um meio que dá bastante retorno e abrange um público maior, levando a realidade cotidiana vivida para o cenário nacional. 

Em Blumenau, com pouco mais de um ano de existência, a Produtora Coffee, empresa audiovisual independente, conta com quase 100 mil visualizações no YouTube em materiais gravados para nomes reconhecidos no cenário musical regional e nacional.

Beatriz Enayra e Guilherme Castellani são os idealizadores e responsáveis pela produtora, que nasceu a partir da paixão de ambos pela produção audiovisual. “Não tínhamos grandes pretensões, e sim uma vontade enorme em ajudar os amigos e músicos da nossa região”, comenta Guilherme.

Embora a empresa já tenha tido mais dois colaboradores fixos (Thomas Kutscher, responsável pela parte gráfica, e Alan Souza, pela parte fotográfica), hoje em dia eles trabalham como freelancers. Atualmente a produtora é administrada e mantida pelo casal. Bia e Gui, como são chamados pelos amigos e parceiros do ramo profissional, fazem todo o trabalho sozinhos. Ele é responsável pela captação e direção das imagens e ela pela edição dos videoclipes.

Organizando as ideias

Neste meio, o contato entre a empresa e o cliente, principalmente na área musical, não pode acontecer de maneira superficial. O compartilhamento de ideias, vivências e emoções é necessário para que a produtora consiga captar e, posteriormente, transmitir tudo o que a música precisa passar.

“O maior diferencial, e o que nos dá um retorno muito positivo, é nosso relacionamento com os clientes, muitos inclusive tornaram-se amigos bem próximos. Cada trabalho pra gente é único. Tentamos mergulhar no momento e entender o que o músico/banda quer dizer, para que possamos inserir no trabalho o lifestyle ideal”, comenta o casal.

Posicionamento no mercado

Atualmente, com um smartphone de boa qualidade em mãos, é possível fazer uma gravação para ser divulgada nas redes sociais. Porém, para a realização de um material audiovisual não basta apenas uma câmera com alta resolução. É necessário conhecimento técnico e entendimento sobre o roteiro, disposição de cenas e cortes.

“Acredito que as produções independentes não conseguem bater de frente com grandes nomes do mercado. Primeiro, por conta dos equipamentos e, em segundo, pelo tamanho da equipe envolvida. Mas, como em todos os segmentos, há espaço para todos os profissionais”, afirma o diretor.

Cada produção, seja ela a gravação de um videoclipe de rap, de uma banda ou a cobertura de um evento e casa noturna, requer um direcionamento e equipamento específico. “Trabalhamos com uma câmera Sony da linha Alfa e um drone da DJI para captação de imagens aéreas. Acessórios como Steadycam¹ e Gimbal², para estabilização, e o sistema operacional OS X, versão 10.11.6, para a parte de edição, fazem parte do nosso trabalho. 

Primeiro videoclipe solo de Drope, integrante da Mokados Crew.

Música de Thiago e Drope, do grupo Mokados Crew.

Videoclipe do rapper Patrick LP.

Chyper³ com alguns MC’s escolhidos para participarem do mesmo projeto.

Filme para comemoração de 1 ano da festa Rolê.

Making of para Banda Nabaya..

Vida independente 

As produções audiovisuais da Coffee são reconhecidas por muitos artistas e amantes da cena do rap  e também de outros estilos. “Gostamos muito do cenário do rap. Além de nos identificarmos com o estilo, o rap é muito forte em nossas produções. Nosso objetivo é focar especificadamente nesta área e, para isso, estudamos muito, buscamos fortes referências da cena e estamos adquirindo, aos poucos, os equipamentos ideais para esse tipo de produção”, comenta Gui.

Os artistas têm um bom resultado com relação aos clipes produzidos e somam muitos compartilhamentos e curtidas nas redes sociais. Porém, como todo trabalho independente, a produtora enfrenta desafios. “Ainda é perigoso para nós, pois tem mês que dá legal, tem mês que é mais fraco, assim como em qualquer outra profissão. Contudo, já conseguimos viver da produtora. Não é um salário excelente, mas conseguimos nos manter e sermos independentes”, afirma o casal. 

Artistas produzidos pela Coffee

Mokados Crew (Blumenau); Futuro 47 (Itajaí); Patrick LP (Blumenau); Banda Nabaya (Blumenau); Manolos (Blumenau); Banda Dodgers (Blumenau); Fratelli DJ’s (Blumenau); Banda Noise (Blumenau); Smoke – do coletivo Damassaclam (São Paulo); Thestrow – do grupo Inthefinityvoz (São Paulo), entre outros artistas e eventos envolvidos nos trabalhos realizados. Além dos videoclipes realizados para os músicos, a produtora é residente da festa Rolê, que acontece em Blumenau.

Primeiro videoclipe produzido pela Coffe em 2016, para o grupo de rap.

Pedro Finger (Drope); Thiago Borgonovo; Alessandro Hames (Hames); Dian Carlos  e Thomas Kutscher, DJ do grupo Mokados Crew, falam sobre o relacionamento com a produtora. “Nosso contato é muito tranquilo. Enviamos o som para eles e depois disso geralmente o Gui já vem com a maioria do roteiro pronto. Essa liberdade de trabalhar com eles nos ajuda muito, expomos nossas ideias e depois, juntos, chegamos na melhor maneira de gravação do videoclipe”, resume, concluindo a impressão do grupo, Drope.

Os artistas contam que depois do primeiro videoclipe gravado, no final de 2016, perceberam, tanto das pessoas que curtem o som, quanto de outros artistas da cena do rap, mais visibilidade e credibilidade. “Gravar um videoclipe dá uma visibilidade muito maior pro nosso trabalho, do que, por exemplo, soltar um som com outro tipo de material, seja lyric⁴ ou só uma capa. A gravação chama mais a atenção e, consequentemente, gera mais retorno ”, comenta Drope. 

Bia e Gui cursam Publicidade e Propaganda na Furb, em Blumenau. Foi durante o curso, na disciplina de Produção Eletrônica que descobriram a paixão pelo audiovisual, após terem que realizar um videoclipe. Desde então, vêm construindo uma carreira com a produtora e fortalecendo o cenário independente brasileiro. 


Steadycam¹ = aparelho manual para auxiliar na estabilização da câmera;
Gimbal² = aparelho eletrônico para auxiliar na estabilização da câmera;
Chyper³ = união de MC’s que pertencem a diferentes grupos com o objetivo de participarem da mesma música;
Lyric = a reprodução da letra da música, sincronizada com o áudio.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s