Arte e Cultura

Enquanto houver Lias vai ter biblioteca

Conheça a história da pedagoga que transformou sua garagem em biblioteca para ajudar as crianças de Balneário Camboriú

Texto: Amanda Macuglia e Joana Fonseca

Com olhar sereno e sorriso no rosto, Dona Lias me recebe em sua biblioteca ao som de varias crianças brincando. Lias Menacho nasceu no Rio de Janeiro em 1984. Veio para Santa Catarina em 1998, estudou pedagogia na Univali e em 2004 conheceu partes carentes do Bairro das Nações em Balneário Camboriú. “Nessa época eu fui fazer trabalhos sociais no bairro trazendo livros e o teatro sobre o pinheirinho de Natal e vi que muitas crianças, de 8 e 9 nove anos, ainda não sabiam ler e foi assim que resolvi começar a levar livros para as crianças”, conta Dona Lias de forma calma, doce e lenta.

Como eram muitas crianças para Dona Lias atender, ela resolveu ceder o espaço da garagem de sua casa para montar uma biblioteca comunitária. A biblioteca começou pequena só com os livros de Dona Lias e aulas de reforço escolar e leitura. “Eu fui inventando brincadeiras no verão, eu fazia a tabuada molhada. Colocava uma piscina de plástico no quintal e o jogo era assim: quem acertava a tabuada entrava na piscina, quem errava saia. Todo mundo estudava certinho a tabuada para no verão não errar e ficar fora da piscina”.

Com as brincadeiras, as crianças vão aprendendo, melhorando seu rendimento na escola e saindo das ruas e do crime. “Muitas crianças que tinham os pais no tráfico, depois que começaram a vir aqui saíram disso, porque de manhã estudavam e de tarde ficavam aqui e teve algumas que até fizeram faculdade. Essa é a parte mais legal desse trabalho, melhorar a vida das crianças”.

Todos os materiais e móveis que a biblioteca possui são doados por parceiros e amigos, recentemente começou a receber o auxílio da prefeitura de Balneário Camboriú. A biblioteca é reconhecida como ONG e trabalha com profissionais da educação e voluntários. “É bastante interessante fazer esse trabalho, a gente acaba conhecendo outras culturas”, comenta a estudante de gastronomia Lilian da Rocha, voluntária na biblioteca há um ano.

Dona Lias também tem ajudado imigrantes Haitianos, oferecendo cursos de pedreiro, pintor, eletricista e aulas de português. “Eu trago profissionais da área para dar aulas para os Haitianos, e também ajudamos eles a se adaptarem na região”. Os imigrantes dão aulas de francês para as crianças e cuidam da manutenção do espaço.

Além das aulas de francês, as crianças têm aulas de português, matemática, inglês, reforço escolar, literatura, artesanato, higiene pessoal, etiqueta, xadrez e violão. “O que eu mais gosto de fazer aqui é aprender o ba-be-bi-bo-bu e fazer continha, mas não gosto de ditado”, conta G. A. de S, de 6 anos, aluno da biblioteca há três anos. Uma vez ao mês as crianças fazem saídas de campo em Balneário Camboriú e região.

Hoje a biblioteca Bem Viver atende cerca de 50 crianças da comunidade. “Não posso ter mais crianças aqui por causa do espaço, mas meu sonho não é uma biblioteca maior e sim uma em cada bairro da cidade. Sempre digo para as crianças enquanto houver Lias vai ter biblioteca”. As atividades oferecidas pela ONG são totalmente gratuitas e para participar, doar um livro ou ser voluntário é só ir à biblioteca Bem Viver na Rua Peru, nº 938, Bairro das Nações, em Balneário Camboriú no período da tarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s