Bem-Estar

Casa das Anas, em BC, conta com oficinas e atendimentos psicossociais

Abrigo irá receber mulheres vítimas de violência doméstica e filhos

Texto: Caroline de Borba e Paula Dagostin
Foto: Gisela Menkuur

Começa a funcionar em Balneário Camboriú o projeto Casa das Anas, que visa o acolhimento de mulheres e crianças em situação de risco. A casa tem capacidade para o atendimento e suporte de 24 pessoas. Por medidas de segurança das mulheres e crianças, o endereço da casa não será divulgado. O projeto foi criado pela ONG Vidas Recicladas.

O diretor da Casa das Anas, Lucas Ávila, revela que a intenção é fornecer um ambiente acolhedor, assemelhando-se a um lar. Entre as atividades realizadas na casa estão oficinas de arte e atividades culturais. Além disso, as mulheres receberão auxílio para retornar ao mercado de trabalho e encaminhamento para cursos profissionalizantes. A casa conta com uma equipe formada por educadores sociais, psicóloga, cozinheira, assistente social, coordenadora, assistente administrativo e auxiliar de limpeza.

casa das anas (2)
A casa foi inaugurada no dia 31 de agosto do ano de 2017 (Foto: Peter Lee Grando)

Fundada em 2004, a Organização Não Governamental Vidas Recicladas tem como proposta auxiliar comunidades carentes e pessoas em situação de risco. Trabalhando em busca de igualdade, a ONG busca melhorar as condições de vida por meio de ações solidárias.

Segundo pesquisa realizada pela Datafolha em 2016 e divulgada no portal da Revista Exame, as agressões mais graves contra mulheres acontecem dentro de casa. Os ataques são realizados, em 61% dos casos, por conhecidos das vítimas. Em 19% dos casos, os culpados são os companheiros atuais e em 16% eram ex-companheiros. 

As ofensas verbais são mais frequentes, atingindo cerca de 12 milhões de mulheres. Além das ofensas, 10% sofreram ameaça de violência física, 4% receberam ameaça com faca ou arma de fogo e 8% sofreram ofensa sexual. A pesquisa constatou que 1,4 milhões de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento e 1% delas levaram pelo menos um tiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s