Bem-Estar

Rotinas exaustivas prejudicam a saúde e dificultam a busca pelo bem-estar

Texto: Aline Dall’ Igna, Pâmela Fogaça, Geraldo Genovez

A prosperidade humana está inteiramente ligada à busca pelo bem-estar, termo definido pelo conjunto de práticas que resultam em satisfação, conforto e motivação. Seja na idealização do corpo perfeito, na corrida pelo emprego dos sonhos ou nos percalços da saúde mental, a conquista desses objetivos rege a vida, ergue e também derruba muros. Ter bem-estar vai além daquilo ditado pelo senso comum, não é apenas ter dinheiro para viagens ou frequentar o shopping. É manter um corpo em funcionamento pleno e, se privar desta condição pode ser considerado uma tortura.

A rotina exaustiva é um dos fatores que impedem a efetivação do bem-estar e a realização pessoal de muitos. De acordo com a psicóloga Eduarda Zimmermann Becker, isso acontece por conta da exaustão. “Nossos corpos e mentes necessitam de descanso e pausas para repor energias”, comenta. A especialista reitera que, assim como há a preocupação em carregar a bateria dos equipamentos eletrônicos, as pessoas precisam priorizar a manutenção da própria energia. “O ser humano deveria se preocupar também em se recarregar com sono tranquilo, boa alimentação, atividades que geram prazer, etc.”, recomenda.

Deixar o bem-estar de lado hoje para trabalhar exaustivamente e desfrutá-lo no futuro é perigoso. A sobrecarga pode gerar doenças. Eduarda destaca a síndrome de burnout, um estresse crônico que tem origem no trabalho, mas em longo prazo afeta os demais convívios sociais. “A pessoa com burnout vivencia sentimentos de exaustão emocional, insatisfação com o trabalho e distanciamento afetivo das pessoas ao redor. Também pode haver ansiedade ou depressão. Com isso ainda pode surgir doenças de ordem física”, alerta.

Bem-estar em último plano

Sem tempo para ler os livros da estante, conviver com a família e, inclusive ser entrevistado, o publicitário e designer João Guilherme Simon, de 23 anos, afirma que os problemas de saúde começaram a aparecer. “Desde que me propus a trabalhar em dois empregos, minha imunidade baixou. É difícil manter um corpo saudável trabalhando tanto”, lamenta. João Guilherme presta serviços em um veículo de comunicação na região e também administra uma empresa de publicidade. Parte do tempo livre do jovem é perdida no trânsito. Nas poucas horas que restam ele procura dormir.

Com pressa e um semblante preocupado, o publicitário alega não ter momentos de lazer e descanso contínuo. A vida corre num ritmo que fugiu do seu controle. “A minha energia toda é gasta com o trabalho. Desgaste total. Cheguei num ponto que não gostaria de ter chegado, nem pensar em sossegar. Não como direito e durmo pouquíssimo. Exercícios físicos? Zero”, conclui. O objetivo, segundo ele, é juntar dinheiro para investir na sua empresa futuramente.

9d06edcc-07d5-4ceb-9ff1-67ac80f76814

Curtir o bem-estar depois da aposentadoria

Quem hoje desfruta do tão esperado bem-estar é o representante comercial Hécio José Floriano, 57. Sua carteira de trabalho foi assinada aos 16 anos e desde então nunca mais parou. Recentemente, Hécio pôde se aposentar e muitas coisas mudaram em sua vida. “Decidi continuar trabalhando para aumentar a renda lá em casa, mas agora num ritmo mais calmo. Quero curtir tudo o que conquistei e fazer valer a pena tanta dedicação. Chegou o ‘depois’, a época que tanto esperei chegar”, comemora.

Apesar de diminuir sua carga horária, Hécio, que trabalha no ramo plástico, ainda tem sobre si muita responsabilidade. Ele cuida de 45 representantes e viaja todo o Brasil em lançamentos de produtos. Mesmo assim, seu bem-estar é prioridade. “Em viagem, procuro ficar em bons hotéis, com boa localização. Quando estou na empresa, tenho flexibilidade no horário de trabalho”, afirma. O representante revela que outros detalhes fazem a diferença. “A empresa que trabalho se preocupa comigo. Parece ser o mínimo, mas muitas não têm esse cuidado com o bem-estar”, compara.

2a6e674a-6827-4d06-b5cb-6e3061a4ea7b

Mudança radical em nome do bem-estar

A busca pelo bem-estar fez com que Cecília Rodrigues, 44 anos, largasse a profissão de promotora de vendas e investisse no seu talento: fazer artesanato. “As pessoas têm mania de planejar um futuro de bem-estar, mas esse futuro parece nunca chegar e, às vezes, essa conquista pode não ser para todos. O trabalho é fundamental e deve ser uma prioridade, mas antes de tudo precisamos ter força e saúde para isso”, ressalta.

Há aproximadamente 15 anos, ela se dedica à arte. “Não pude largar tudo e simplesmente trocar de área. Por um tempo, eu tive de enfrentar uma rotina ainda mais pesada para fazer cursos profissionalizantes. Mas estudar nunca será um problema, pois abre muitas portas e foi graças ao meu esforço que sou mais feliz e vivo plenamente o bem-estar”, afirma. Desde a mudança, Cecília trabalha em um ateliê nos fundos de sua casa, onde pode cuidar dos filhos e também fazer suas tarefas domésticas.

Se alimentar corretamente diminui o estresse

Todo mundo já ouviu falar naquele hormônio chamado cortisol, que quando desregulado pode prejudicar o sistema imunológico e afetar os níveis de açúcar no sangue, além de aumentar a pressão arterial. O que poucos sabem é que o organismo humano é frágil e ninguém está livre de desenvolver esses problemas. Segundo a nutricionista Jennifer Bernardo, a rotina pesada é um dos principais motivos citados por seus pacientes que têm estresse, condição desencadeadora de cortisol.

Jennifer aponta a alimentação saudável como uma forma de não abandonar o bem-estar. “É necessário um pouco de planejamento. O ideal é preparar as refeições em casa ou procurar estabelecimentos que sirvam comidas naturais e de qualidade”, orienta. A nutricionista também destaca que optar por alimentos industrializados, pensando na praticidade, é um erro. “Comprar um pacote de bolachas é muito mais fácil e rápido que descascar uma fruta ou preparar uma salada. Contudo, na primeira opção temos grande quantidade de aditivos alimentares prejudiciais a nossa saúde, como corantes, conservantes, aromatizantes, espessantes, emulsificantes, edulcorantes, etc.”, enumera.

O equilíbrio, conforme Jennifer, pode ser conquistado com o apoio de um profissional da nutrição. “A alimentação é muito mais complexa do que se imagina. É muito arriscado seguir ‘dietas’ de outras pessoas, passar muito tempo sem se alimentar ou sem consumir determinado alimento”, explica. Cada pessoa possui necessidades nutricionais diferentes, o que requer uma avaliação adequada. “Nós somos diferentes, nosso corpo funciona e reage de maneiras distintas, então a nossa alimentação também precisa ser individual”, ressalta.

Exercícios físicos evitam traumas e síndromes

O personal trainer João José Quintino Silva também enfatiza a orientação dos profissionais da saúde. “Ter bem-estar físico significa ter um corpo funcionando em condições normais, ausente de qualquer trauma ou síndromes metabólicas. Por isso, é imprescindível a conscientização na hora de decidir o rumo de nossas vidas”, comenta.

As mudanças na forma de levar a vida devem, na concepção de João José, ser de dentro para fora. “Parece texto de livro de autoajuda, mas todos devem enfrentar o exercício físico como um hábito em suas vidas, assim como escovar os dentes, tomar banho, etc.”, conclui.

6c442856-c660-40eb-ad56-770c5403943c

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s