Cidades

Breve guia da música autoral em Itajaí

Músicos locais ainda buscam espaço nas casas noturnas da cidade portuária

Texto: Elyson Gums e Rodrigo Rodrigues

É legal ouvir os clássicos – Pink Floyd, Rolling Stones, Led Zeppelin, AC/DC e por aí vai. Prova disso é o repertório da maioria das bandas covers que tocam em barzinhos aos fins de semana. Sempre tem o riff de “Smoke in the Water” em determinada hora da noite e uma voz aguda para “Back in Black”, em outro momento. Tem quem vá aos lugares ouvir justamente esses clássicos; quem só deixa os sons como plano de fundo da conversa e bebedeira; e quem preferia ouvir um som novo. Esse último grupo de clientes não tem tantas opções assim para ouvir uma banda local.

Há reclamações de músicos independentes de todos os estilos e de todos os lugares do país. Alguns precisam colocar a mão no bolso pelo prazer de tocar. E apesar da qualidade do som autoral de Itajaí, a cidade também sofre com esse problema.

A opinião de Bruno Golembiewski é de que a cidade não oferece tantas opções que promovem artistas autorais. Apesar de haver estabelecimentos do tipo (que serão listados a seguir), ele sente falta de maior engajamento do público para fazer com que essa cena cresça na cidade.

Para ele, o contato com a música itajaiense foi uma forma de encontrar sua identidade enquanto morador da cidade. Ele nasceu em Florianópolis e tem família gaúcha, mas começou acompanhando os “peixeiros” por lazer, depois a trabalho. O gosto por ouvir artistas locais o levou a estagiar no Pirão Catarina, programa da Univali FM dedicado à música autoral catarinense e a elaborar um projeto de site multimídia para divulgar o trabalho dos artistas.

“Acho que é uma questão até de o público comparecer mais. Parar de ouvir só as coisas de fora e conhecer também o que tem do lado de casa”, observa. E ao que as cifras indicam https://noisey.vice.com/pt_br/article/como-e-estar-em-uma-banda-cover, realmente tem mais público quando tem Guns’n’Roses ou Metallica no palco.

A opinião do músico Silvio Matheus, da banda Herméticca, é parecida com a de Bruno. Para ele, a questão é capital: se tem mais público em show cover, é natural que essa seja a prioridade de donos de bares. “Um dia ou outro, num evento especial ou organizado pelas próprias bandas, aí sim (tem som autoral). Mas no restante, nos dias normais, isso é muito difícil”, compara.

Pensando nisso, pedimos para os entrevistados nos ajudarem a fazer uma pequena lista de lugares para conhecer melhor a música local. Itajaí é uma cidade culturalmente rica e com longa história na música autoral, incluindo músicos de baile virtuosos, festivais de grande porte e estúdios nacionalmente premiados. Por isso, é praticamente impossível cobrir tudo o que a cidade oferece e muito menos listar todas as bandas. Então oferecemos algumas opções diferentes para os finais de semana:

Produções independentes

  • B.O.I – Bandas organizadas independentes

Como disse Silvio, é comum que as próprias bandas criem seus espaços. Uma dessas iniciativas é o Bandas Organizadas Independentes (BOI), grupo de artistas do Litoral Norte catarinense. Com dificuldades para encontrar valorização nas casas de shows da região, os artistas se uniram para fortalecer a cena e buscar espaços.

  • Pirão Catarina

Na rádio, um canal forte para conhecer artistas novos está longe do comercial: há dez anos, o programa Pirão Catarina é veiculado na Rádio Educativa Univali FM. São entrevistados músicos de todo o estado, com intervalos para divulgação das músicas. O programa, inclusive, lançou um CD com músicos de Itajaí, para comemorar um dos aniversários da cidade. https://piraocatarina.wordpress.com/

Programa Pirão Catarina divulga a música autoral de Itajaí (Foto: Reprodução / Facebook Pirão Catarina)
  • Válvula Rock

Outro canal importante é o Válvula Rock, dos irmãos Flávio Roberto e Anderson Davi, há dez anos produzindo eventos. Eles são os responsáveis pela idealização do Rock’n’Beer, evento que reúne cerveja artesanal e rock autoral em Itajaí.  www.valvularock.com.br/

Apoio público

  • Edital de incentivo à cultura

Entre as ações da prefeitura estão os editais para produção cultural, que contemplam diversas áreas. Os artistas escrevem os projetos e caso aprovados procuram empresas que os apoiam em troca de abatimento de impostos. Diversas cidades têm editais semelhantes.

  • Espaços públicos

Alguns locais públicos que dão espaço para intervenções artísticas autorais são a Casa da Cultura, o Teatro Municipal e o Mercado Público.

Bares

Pedimos para que as duas fontes – Bruno, enquanto público, e Silvio, na condição de músico – listassem alguns lugares que frequentemente abrem espaço para som autoral em Itajaí:

  • Backdoor
  • Espaço Deck
  • Don Cabral
  • Gamboa
  • BR-101
  • Saloon

Eventos

  • Festival de música

O tradicional evento traz grandes músicos para se apresentar em Itajaí. Na última edição, os destaques foram o violonista Yamandu Costa e o cantor João Bosco.

  • Seminário de violão

A Associação de Violão de Itajaí promove concertos e outras atividades relacionadas ao instrumento de corda. No ano passado, foram dois dias de shows e oficinas para músicos, com entrada franca.

  • Marejada

Recentemente, a principal festa da cidade também abriu espaço para músicos da região se apresentarem. Chico Preto e A Dita Cuja e Bruno Moritz foram algumas das atrações da última edição.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s