Notícias

Do it yourself é alternativa para ter produtos “novos” e baratos

Em ascensão no Brasil, a prática do “Faça você mesmo” tem ganhado cada vez mais adeptos que buscam economia e originalidade em seus produtos

Em ascensão no Brasil, a prática do “Faça você mesmo” tem conquistado cada vez mais adeptos que buscam economia e originalidade em seus produtos

Texto: Anna Paola Paraná, Daiane de Souza e Maria Eduarda Cagneti

Madeira de pallet, dois retângulos de vidro fino, quatro dobradiças, dez pequenos pregos e lixa d’água. Foi isso que Amanda Bignami, 20 anos, utilizou para fazer um armário de 40 x 30 cm para decorar seu quarto. Desde pequena, Amanda já gostava de criar itens, guardar caixas, embalagens e rolos de papel higiênico. “Com 10 anos, cheguei a vender imãs de geladeira de biscuit para os meus vizinhos”. A jovem também fez luminárias, bancos, mesinhas e acessórios pessoais, como pulseiras e colares.

As instruções para produção dos objetos Amanda encontra em sites e blogs especializados em DIY (Do it yourself: faça você mesmo). Segundo ela, os portais conseguem transmitir para o público um jeito simples de transformar as coisas, tornando acessível até para aqueles que não dominam a arte manual. Um desses portais é o Vila do Artesão. Criado em 2008, surgiu como uma ferramenta de divulgação dos produtos e serviços da loja física de mesmo nome. Depois que a loja fechou, o blog mudou o foco, mas continuou ativo. “Na época havia uma escassez enorme de sites e blogs que ensinassem tutoriais de faça você mesmo para iniciantes e abordassem técnicas diferentes”, conta a dona, Cris Turek, que acertou na escolha. De 300 leitores, o blog passou a ter 30 mil assinantes.

De acordo com Cris, os leitores do blog procuram dicas para situações específicas, buscando economizar a partir da reutilização ou da escolha por materiais mais acessíveis. “Produzir lembrancinhas para festas, enfeites de natal, ou até itens de decoração de baixo custo”. Em alguns casos o objeto pode sair por um valor bem abaixo da metade do preço, quando comparado a uma loja. O armário de Amanda saiu em torno de R$ 37. Enquanto isso, na loja virtual “Meu móvel de madeira”, um produto com o dobro do tamanho mas de características similares, como a madeira e o vidro, custa R$ 789.

armariochic
Armário para compra online por R$ 789 (Reprodução)
ianjecaarmario
Armário feito pela Amanda, por R$ 37 (Foto: Amanda Bignami)

Mesmo com a diferença no preço, a design de interiores Juliana de Castro diz que isso não interfere no comércio de móveis e decoração. A vendedora Zulma Maria Chapiesk, da loja Arte Móveis, localizada no centro de Balneário Camboriú há quase duas décadas, afirma que as pessoas ainda preferem comprar peças prontas. Isso se dá por conta do acabamento diferenciado que só as lojas especializadas proporcionam. “Os clientes que vêm procurar este tipo de acabamento não procuram outro”.

Em países com mão-de-obra encarecida é mais comum as pessoas terem o hábito do “faça você mesmo”. Aqui no Brasil isso vem crescendo, mas na maioria dos casos ainda opta-se pela segurança de um trabalho profissional. Juliana incentivou alguns clientes a produzirem peças para compor alguns ambientes. Isso acontece especialmente com aqueles que querem se sentir mais presentes na execução de um projeto, como por exemplo, pais na montagem do quarto do bebê. Mas para ela, o índice de economia é relativo. “Na maioria das vezes, a pessoa não tem prática, gasta mais em material e ainda acaba indo comprar o produto em uma loja”.

iAAAANNN
Porta objetos (Foto: Amanda Bignami)

A blogueira Cris contraria este pensamento. Ela admite que algumas pessoas possuem mais facilidade, mas esta é uma habilidade inerente ao ser humano. “É só uma questão de vencer o receio de errar. É muito mais fácil do que se imagina”. A dica dela é começar como um lazer, reservar determinado tempo para produzir o que deseja. Além da economia e do prazer que o DIY pode oferecer, Amanda ressalta outro fator importante: “É uma forma de reaproveitar as coisas que iriam para o lixo ou ficariam esquecidas em casa”.

Confira o áudio em que Amanda Bignami explica como fez o armário:

No próximo áudio, Ian Hipólito explica como fez a mesa abaixo:

ianmesa
Mesa produzida por Ian Hipólito (Foto: Ian Hipólito)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s