Bem-Estar

Cabelos preservados x desconforto: se você estivesse com câncer, congelaria seu couro cabeludo para não perder os fios?

Uma touca gelada disponível na cidade de Itajaí é capaz de diminuir em até 70% a queda dos fios de cabelo em pacientes com alguns tipos de câncer durante a quimioterapia

Uma touca gelada disponível na cidade de Itajaí é capaz de diminuir em até 70% a queda dos fios de cabelo em pacientes com alguns tipos de câncer durante a quimioterapia

Texto: Adrielle Demarchi, Ana Carolina Nasato e Natália Rocha

“A palavra câncer é assustadora, muitas vezes é considerada sinônimo de morte”. É o que diz Zilma Carneiro, que enfrentou a doença há um tempo e se lembra da sensação que sentiu quando recebeu o diagnóstico. Após a descoberta, vem o tratamento e junto a ele, várias consequências. É uma verdadeira batalha. “A gente fica fraco, ficamos muito sensíveis a tudo, a cheiros, a gostos, até a claridade irrita às vezes, são muitas mudanças”, conta Helio Alves Carneiro, marido de Zilma, que também descobriu um câncer há alguns anos e agora já está em tratamento. No caso de Rita Lopes, diagnosticada há aproximadamente 6 meses com câncer de mama, uma das mutações mais difíceis no começo foi a perda dos cabelos. Rita já se preparou, cortou-os bem curtos ao saber que teria que fazer quimioterapia. Após um tempo, foi preciso raspá-los, pois já se sentia muito incomodada com os fios caindo por toda parte. O médico oncologista Giuliano Borges diz que as mulheres, principalmente as mais jovens, são as que mais sofrem com a perda dos fios.

img_2143
Rita Lopes e sua filha, Ana Beatriz. (Foto: acervo pessoal)

Os efeitos colaterais durante tratamentos oncológicos podem acarretar também em importantes repercussões psicológicas. “Os cabelos, histórica e culturalmente simbolizam a feminilidade, a sensualidade e até mesmo a sexualidade”, diz a psicóloga Jéssica Utyama. Ela acredita que a mudança drástica na aparência pela queda dos fios causa, muitas vezes, uma dificuldade do próprio indivíduo se aceitar e se reconhecer novamente e os jovens, que já passam por mudanças naturais devido aos hormônios, podem sofrer mais com esse tipo de reação do tratamento. Já a psicóloga Ana Karina Beltrão coloca outro ponto. Ela concorda que essa mudança, ainda que transitória, da aparência de pacientes com câncer pode afetar negativamente algumas pessoas, mas diz que para muitos, o fato de cair o cabelo é muito “pequeno” frente ao diagnóstico da doença. “Mesmo os cabelos sendo simbólicos na sociedade como uma expressão do sensual e do feminino, durante o tratamento há outros desafios”.

Mas, e você? Se fosse diagnosticado com a doença e descobrisse que tem um jeito do seu cabelo não cair durante as sessões de quimio e radioterapia, gostaria de fazer? Há alguns meses, a esposa do apresentador Marcos Mion, Suzana Gullo, postou uma foto nas redes sociais usando uma touca que utilizou durante um tratamento de câncer e chamou a atenção por ter preservado grande parte dos fios.

3875168233-suzana-gullo-mion
Suzana Gullo Minon durante o tratamento do câncer de mama que enfrentou em 2016. (Foto: Internet)

Esse mesmo método que Suzana utilizou já é aplicado em Itajaí, no Centro de Neoplasias Litoral há quase 10 anos. É a touca hipotérmica. Ela congela o folículo capilar para que a medicação usada no tratamento de alguns tipos de câncer não atue na região, preservando assim, os fios de cabelo. O paciente que decide utilizar esta touca pode ter em média 70% do cabelo poupado, conta o Dr. Giuliano Borges. Funciona assim: alguns minutos antes do início da quimioterapia, umidificamos o cabelo do paciente com água gelada. Depois, uns 15 minutos antes de começar, coloca-se a touca nele a uma temperatura de -20°C. Para a região permanecer sempre gelada, é necessário trocá-la a cada meia hora. O paciente ainda precisa ficar com a touca por mais 15 minutos após o término da sessão, explica a enfermeira oncológica Mayra Clara Zabel. Ela diz que a maioria dos pacientes da Clínica de Neoplasias Litoral atualmente não estão utilizando-a. “Não é todo protocolo que exige e não é toda a medicação que tem a característica da alopécia, da queda de cabelo, tem protocolo que não dá para utilizar a touca por causa do número de toucas disponíveis aqui no centro também. Quimioterapias de 4 horas, por exemplo, que exigem muitas trocas de touca”. O Dr. Giuliano Borges diz que a touca hipotérmica pode ser utilizada na maioria dos tumores, porém nos casos de câncer hematológico, como leucemia e câncer do tipo linfático, ela não é indicada.

img_1973
O uso da touca hipotérmica é grátis no centro de Neoplasias Litoral em Itajaí. (Foto: Ana Carolina Nasato)
img_1968
A enfermeira oncológica Denise Santos em simulação do uso da touca hipotérmica. (Foto: Ana Carolina Nasato).

DESCONFORTO 

A sensação de congelamento do couro cabelo causa diferentes tipos de reações nas pessoas, conta a enfermeira Mayra. “Cada paciente relata uma sensação. Alguns se sentem desconfortáveis, ficam com enxaqueca por causa do gelado. Outros se acostumam fácil e gostam, é muito variável e cada vez que a touca é trocada a cada 30 minutos de uso o paciente volta a sentir o gelado no extremo, então tem uns que acham essa a parte muito difícil”. Entre os que já escolheram utilizá-la, todos até agora na Clínica Neoplasias Litoral foram mulheres. Já houve homens que vieram à procura, mas no fim acabaram optando por não utilizar. Helio Alves Carneiro é um deles, ele disse que não conhecia essa touca, mas mesmo se tivesse conhecido antes do início do tratamento, ia preferir não utilizar, pois não queria sentir mais um incômodo.

Fica a questão: beleza ou desapego? Zilma Carneiro diz que sempre foi bem resolvida com a questão da queda do cabelo, utilizava lenços ao sair de casa e não se importava com a opinião das pessoas sobre isso. Rita Lopes disse que também não conhecia a touca hipotérmica e quando a conheceu já tinha perdido a maioria dos fios. Se soubesse antes, talvez tentaria usá-la. Todavia, ela diz que também não se importou tanto com a perda dos fios e se diverte fazendo variações de lenços e perucas.

img_2142
Rita Lopes (de peruca), ao lado da filha e do marido.(Foto: acervo pessoal)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s