Cidades

Programa Bairro Seguro é destaque em monitoramento a partir da iniciativa de moradores

Cabeçudas é o primeiro bairro do país a possuir um sistema de monitoramento que cobre toda a região. A iniciativa foi dos moradores para diminuir a frequência de assaltos no local.

Cabeçudas é o primeiro bairro do país a possuir um sistema de monitoramento que cobre toda a região. A iniciativa foi dos moradores para diminuir a frequência de assaltos no local.

Texto: Andressa Magalhães e Beatriz Ferreira
Edição: Adrielle Demarchi

Todo cidadão tem o direito de ir e vir e a falta de segurança faz com que as pessoas tenham medo de sair de suas casas. Entre 2011 e 2015, os assaltos passaram de 10.727 para 17.691 em Santa Catarina, ou seja, um aumento de cerca de 65% em quatro anos, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). A cidade de Itajaí foi uma das que sentiu esse aumento na criminalidade, principalmente o bairro de Cabeçudas, alvo constante de roubos e sequestros. Em 2013, após uma série de delitos, a Associação de Moradores de Cabeçudas (AMC) resolveu tomar providências para a segurança do bairro. Ao levantar possibilidades de melhoria em uma reunião com os moradores, uma moradora se manifestou e sugeriu o monitoramento com câmeras de segurança pelo bairro, sistema que já era adotado em sua antiga residência nos Estados Unidos.

Este é o primeiro bairro no Brasil a aderir a esta tecnologia com total cobertura da região. O chamado Programa Bairro Seguro conta com câmeras de alta qualidade e resolução, contribuindo para uma melhor identificação dos possíveis suspeitos e rotação de 180 graus. O Sistema Inteligente de Segurança de Monitoramento de Cabeçudas (Sismoc) conta com vigilância 24 horas. Os vídeos ficam armazenados por até 21 dias na central de monitoramento, que se encontra no bairro. O Sismoc possui também um alerta de obstrução de câmeras. André Luiz Jorge, consultor de segurança, explica que em caso de interrupção de alguma imagem é emitido um alerta que vai acusar essa falha, o que contribui para a vigilância em tempo real.

Áudio do consultor de segurança, André Jorge, que explica mais sobre o sistema implantado.

A presidente da Associação de Moradores de Cabeçudas, Mayra Dolzan, conta que as entidades de segurança pública também prestam auxílio ao sistema de segurança, como a Polícia Civil, a Guarda Municipal e a Polícia Militar, que possuem acesso às mesmas imagens que as centrais de monitoramento. A Empresa Minister, da qual um dos moradores é dono foi a responsável pela implantação, operação e manutenção. A empresa possui parceria com as casas noturnas Warung e Beldere, do grupo Green Valley, e também com a P.B Internacional Empreendimentos Imobiliários. Para os parceiros, esse sistema ajuda a reforçar a segurança em seus estabelecimentos, ou no caso da P.B Internacional, no condomínio residencial que possui na praia de Cabeçudas.

Áudio da presidente da associação, Mayra Dolzan, relatando sobre a aceitação dos moradores à instalação.

Eduardo Philipps, representante da Beldere, acredita que as câmeras muitas vezes poderão ajudar contra arrombamentos de carros, assalto às casas ou desordem pública. “Acredito que, com as câmeras, nossos clientes irão se sentir mais seguros”. Ele também considera que as placas avisando os motoristas a respeito do monitoramento irão ajudar as pessoas a respeitar as leis de trânsito. A decisão pela instalação do sistema foi unânime e os poucos que estavam em dúvida acabaram percebendo as melhorias no bem-estar que a vigilância traria, antes da instalação das câmeras.

Nos três primeiros anos, de 2016 a 2019, período do contrato com a empresa, os patrocinadores irão arcar com todas as despesas. A associação de moradores recorreu ao patrocínio destas empresas como contrapartida aos transtornos causados, como a movimentação de automóveis na madrugada pelos jovens frequentadores das casas noturnas e os maquinários que estão trabalhando na obra do P.B. Internacional. Foram instaladas, ao total, 32 câmeras em postes distribuídos ao longo das ruas do bairro. Elas ficam, principalmente, nas principais vias de acesso à praia, nas ruas de maior circulação, tanto de pedestres como de veículos, e nas entradas e saídas do bairro. Segundo André, o equipamento é via rádio e pelas câmeras serem interligadas, mesmo com a queda de energia elas funcionam cerca de mais uma hora. Caso alguma desligue pela falta de eletricidade será imediatamente reportado à central do bairro para manutenção.

Milton Goetten de Lima Sobrinho, representante da diretoria do grupo Minister, informou que o investimento nesta instalação foi possível pela iniciativa dos moradores locais. O sistema traz uma maior segurança e comodidade para os moradores do bairro.

Mapa de cameras Cabeçudas
Mapa com a localização das 32 câmeras que foram distribuídas pelo bairro de Cabeçudas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s