Opinião

Para purificar a alma

Diário de viagem: um réveillon no deserto de sal

Diário de viagem: um réveillon no deserto de sal

Texto: Mariana Ricardo
Fotos: Maria Alice Gazaniga | acervo pessoal

Uma comida bastante temperada, um povo hospitaleiro, lagoas coloridas, flamingos, vulcões e um deserto inteirinho feito de sal. Este foi o réveillon de 2016 da Maria Alice Gazaniga, completamente desconectada na Bolívia. Aventureira e viciada em viagens, a designer resolveu matar a curiosidade e começar o ano purificando a alma, literalmente, com muito sal! “Não conseguia entender como seria possível existir algo assim, um deserto feito de sal de verdade. Todas as vezes que via fotos na internet ou lia algo sobre, aguçava ainda mais minha curiosidade. O lugar é absolutamente incrível, superou minhas expectativas, não só o deserto como todas as pequenas cidades por onde passamos para chegar até ele. A Bolívia é surpreendente! Sofri um pouco com a altitude, ficamos cansados com facilidade devido a falta de ar nos pontos mais altos da viagem, mas aos poucos o organismo ia se acostumando e ficava tudo bem”.

Processed with VSCOcam with f2 preset

A viagem durou cerca de uma semana, tempo suficiente para recarregar as energias e produzir um álbum de fotos de tirar o fôlego! “Eu amo fotografia, faço muitas fotos sempre que viajo. A Bolívia deixou meu álbum ainda mais lindo. Impossível tirar uma foto ruim lá”. Mas nem tudo foi tão incrível assim, mesmo o povo sendo bastante receptivo como os brasileiros, Maria conta que as diferenças culturais até encantam, mas é difícil a adaptação.

E quem imagina simplesmente uma imensidão de sal e nada mais, se engana. Ao redor do deserto é possível se deparar com as mais diferentes paisagens. Isso é o que mais impressiona e dá a garantia das belas fotos. “O que mais me surpreendeu foi a quantidade de paisagens e lugares completamente diferentes e incríveis que visitamos. A cada meia hora no caminho desta aventura a paisagem mudava completamente, o deserto de sal virava uma área vulcânica, ou um bosque cheio de lhamas e muito verde. Quinze minutos depois estávamos num deserto que mais parecia cena de filme. Não digo que me decepcionou, mas tive um pouco de dificuldade com a alimentação lá. Os costumes, temperos, são muito diferentes do nosso, tive que me adaptar”.

Processed with VSCOcam with f2 preset

12471339_944945312208431_1984219006319627624_o

Não bastou enfrentar a altitude, a alimentação diferente e o choque de cenários. Maria Alice e os amigos quiseram ousar ainda mais passando a virada de ano completamente desconectados. Eram eles e a imensidão daquele lugar.

“É muito difícil descrever com palavras o que vivi. Sou daquelas que não vive sem celular para nada! Agenda, e-mail, redes sociais. Imagina para quem está o tempo todo conectada se desligar assim e, ainda por cima, num lugar como este. Foi uma das melhores experiências que já vivi! Um autoconhecimento sem tamanho, num lugar surreal”.

E os planos não param nunca! A chegada de uma viagem é sempre o começo de um novo plano, para um novo destino. “Eu amo viajar, cada viagem é sempre uma nova experiência, volto renovada. Sair do lugar onde a gente vive, conhecer outro tipo de cultura, ter contato com outras pessoas, línguas. Tudo isso é um crescimento pessoal, é difícil descrever. Me sinto recarregada a cada retorno. Sempre falo que já volto de uma viagem programando a próxima. Agora estou me programando para viver outra experiência tão diferente quanto esta que vivi. Quero ir para o outro lado do mundo, a Ásia! Se a Bolívia que é tão pertinho já me surpreendeu, tenho certeza que será tão fantástico quanto”.

Processed with VSCOcam with f2 preset

Salar de Uyuni

Localizado no sudoeste da Bolívia, à borda da Cordilheira dos Andes, o Salar de Uyuni (conhecido por aqui como Deserto de sal) é a maior planície de sal do mundo, com mais de 10.500km². O ponto mais alto tem 3.656 metros de altura e o que mais impressiona na região é o nivelamento da crosta de sal com as várias altitudes. O Salar surgiu com a transformação dos lagos pré-históricos que hoje estão cobertos pela salmoura. Contém mais de 50% das reservas mundiais de lítio e é uma região bastante fértil para espécies como os flamingos rosas. Além disso, o Salar fica em uma região de transição do clima, o que proporciona cenários ainda mais incríveis com as nuvens tropicais no verão.

12513544_946239185412377_8416031344474553368_o

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s