Entrevista

Entrevista: veterinária Andreza Amorim

Confira questões importantes referentes à saúde e tratamento dos cães que salvam vidas

Andreza Amorim é Soldado Bombeiro Militar Santa Catarina e Médica Veterinária formada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Lages-SC, no ano de 2008. Capacitada em Acupuntura Veterinária. Pós-Graduanda em Endocrinologia Veterinária. Andreza respondeu algumas questões importantes referentes à saúde e tratamento dos cães que salvam vidas.

Essa entrevista faz referência à reportagem “Cães que salvam vidas: o trabalho dos cães-guia, de resgate e farejadores”. Saiba mais.

Com qual idade os cães podem ser submetidos a esse tipo de trabalho?

O processo de formação dos Cães de Busca, Resgate e Salvamento exige muita técnica, tempo e um forte trabalho de treinos frequentes.  Começa com o desenvolvimento para o olfato e para o condicionamento a brincadeiras (que é a forma de premiação que usamos para o trabalho deles). Desde muito jovens, ainda quando estão com a mãe, são estimulados e desafiados a novos cheiros, lugares, pessoas e brinquedos diferentes. Buscamos neles a qualidade de resiliência e que os treinos sejam divertidos e agradáveis.
Quanto mais cedo se inicia o condicionamento dos cães, melhor.  Mas é muito importante que cada fase seja preenchida corretamente antes de avançar para a próxima etapa da formação do cão de resgate. Tudo deve ser bem cimentado, respeitando a idade que corresponde a cada fase, bem treinado, repetido e com a certeza que o cão entendeu a etapa, que foi prazeroso para ele e que ele vai gostar de repeti-la, pois essa será a base do trabalho dele.

Quais os cuidados mensais esses animais devem receber?

Fisiologicamente são cães como qualquer outro, com as particularidades de cada raça e idade. Devemos ter para com eles os cuidados que todo cão precisa, mas como são animais de alta performance, que gastam muita energia, fazem regularmente exercícios físicos, e frequentam lugares variados, precisamos alimentá–los com rações Super Prêmio de alta qualidade, manter em dia o esquema de vacinação, vermífugos, antipulgas e carrapaticida. Sempre conhecendo o desafio de enfermidades que a região que o cão trabalha apresenta. A prevenção continua sendo o melhor remédio.

A quais os tratamentos diferenciados dos outros cães eles são necessários para manter a integridade física destes animais?

Como comentado na resposta anterior, são cães que necessitam manter em dia a prevenção de doenças.  Check-ups semestrais são uma excelente forma de diagnóstico precoce de doenças, tanto as genéticas como as adquiridas com o passar do tempo. No check-up os animais passam por avaliação clínica do Médico Veterinário e exames de sangue e imagem com o intuito de que se alguma alteração na saúde deste animal esteja acontecendo ela seja diagnosticada o quanto antes para melhorar o prognostico.

Esse trabalho é prejudicial?

Cães de resgate têm a função de um bombeiro e correm os riscos de uma ocorrência, como tal profissional da área. Andam em escombros, matas e ambiente aquáticos, cada local com seu risco.  Mas a atividade em si, os treinos, não são prejudiciais, o cão tem prazer em treinar, para ele é tudo uma forma de brincar com o seu condutor. O tipo e a intensidade de atividade física é dosada e respeitada pelo perfil do cão.

Existe alguma regulamentação para este tipo de “profissão animal”?

Cada instituição segue uma diretriz interna, tem uma coordenadoria e suas regras. No Corpo de Bombeiro de Santa Catarina, os cães só podem trabalhar em ocorrências reais quando certificados em prova.

Todos os cães podem se tornar farejadores e salva –vidas, ou são raças especificas? Se sim, quais as qualidades especificas dessa raça que o torna mais propicio para este tipo de ação?

Nem todos os cães podem ser farejadores, precisamos de cães com habilidade para tal, isso envolve tamanho do focinho, quanto maior o focinho melhor para o sentido do olfato. Cães tem milhões de células olfativas a mais que humanos, em torno de 120 a 300 milhões comparadas com as nossas 5 milhões, e ainda possuem o órgão vomeronasal, que é um órgão olfativo auxiliar. O olfato dos cães é poderoso. As células receptoras olfativas dos cães são especializadas. Os cães têm mais áreas cerebrais especificas para o olfato que os humanos, e possuem memória olfativa.  Em Santa Catarina usamos somente a raça labrador, essa raça foi escolhida por ser dócil, não assustando nem mordendo a vítima, treinável, com tamanho e pelagem adequadas, pois estes cães percorrem diferentes terrenos e precisam de agilidade para transpor obstáculos. A raça também tem uma boa rusticidade.  Outros estados usam também outras raças como Pastor de Malinois e Golden Retriever.

Qual tipo de alimentação ideal? Eles recebem vitamínicos ou algo do gênero?

Recebem alimento de ótima qualidade, rações Super Prêmio para a idade em que o cão se encontra. Em treinamentos mais intensos recebem suplementos adicionais. Existem rações para animais de alto rendimento físico que já possuem em sua composição elementos extras para suprir esse gasto adicional de energia do cão.

E como funcionam os atendimentos veterinários desse tipo de cão?

O correto é esses cães passarem por consulta com o veterinário regularmente, para check-up e avaliações rotineiras, pois são cães de trabalho e devem sempre estar em boas condições para tal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s